Os primeiros dias mais frios do ano chegaram! Com a mudança de estação é comum que doenças respiratórias como gripes e resfriados se espalhem com mais facilidade. Ao primeiro sinal de desconforto, analgésicos e anti-inflamatórios são a primeira opção de muita gente. Vendidos livremente em farmácias e drogarias estes medicamentos podem ser ótimos para emergências. Entretanto, seu uso prolongado, indiscriminado e sem critérios pode causar efeitos colaterais para sua saúde. Entenda:

 

Uso prolongado

O uso prolongado de ácido acetilsalicílico (AAS), que é um dos principais componentes de vários analgésicos, pode provocar ou agravar doenças como gastrites e úlceras. Aspirina, anti-inflamatórios não hormonais e os corticóides são drogas que causam gastrite. Isso acontece porque eles destroem a barreira de proteção gástrica, inibindo a produção de muco, uma substância que funciona como uma barreira protegendo o revestimento do estômago. Normalmente o consumo destas drogas por um curto período em pacientes saudáveis não causa problemas. Porém, quando o uso é prolongado, pode ocorrer desde gastrites até algo mais sério como uma úlcera gástrica ou duodenal.

 

Se você fuma o cuidado deve ser redobrado!

 

O que é gastrite?

Gastrite é uma doença que se caracteriza pelo processo inflamatório da camada interna de revestimento do estômago que é chamada de mucosa gástrica. Na gastrite, as células brancas do sangue migram para a parede do estômago como resposta a uma agressão. Já a úlcera gástrica é uma lesão (ferida) no estômago em um estágio mais avançado.

 

Quais são os sintomas?

A gastrite pode não produzir qualquer sintoma, mas é bastante comum ocorrer dor ou queimação no abdome superior, náuseas, vômitos, eructações (arrotos) e sensação de má digestão. As queixas podem piorar com o jejum prolongado. Pode haver diminuição do apetite e saciedade precoce (qualquer coisa que comemos nos dá a sensação de já estarmos cheios). Se a dor é muito severa podemos estar diante de complicações como sangramento e perfuração de uma úlcera, por exemplo. Neste caso podemos ter taquicardia, extremidades frias, queda da pressão arterial com tonturas e até desmaios.

 

Como tratar a gastrite?

O tratamento depende da sua causa. Na maioria dos casos de gastrite a redução da secreção de ácido pode ser feita através de medicamentos como o conhecido omeprazol, por exemplo, ou qualquer outro medicamento desta classe, os chamados inibidores de bomba protônica. Além disso é necessário uma dieta sem irritantes gástricos. Mas atenção, no caso da gastrite induzida por medicamentos, apenas a suspensão do agente agressor pode levar a resolução completa do quadro. Procure sempre uma orientação médica especializada para obter um diagnóstico preciso e para orientação do tratamento mais adequado para o seu caso.

 

A automedicação nunca é uma boa escolha!

 

Evite!

No caso de gripes e resfriados, por mais simples que pareçam, procure um médico. Os anti-inflamatórios devem ser utilizados sempre com a orientação cautelosa de um especialista, pois podem produzir efeitos colaterais muito sérios como hemorragias, perfuração de úlceras pépticas e insuficiência renal.

Para saber mais sobre gastrite, clique aqui. Se quiser saber mais sobre as úlceras, clique aqui.