Você já ouviu falar em IMC? Ele é o método internacional mais indicado e aprovado pelas organizações de saúde para indicar o peso ideal de cada indivíduo, de acordo com o seu tamanho. A classificação do IMC pode ajudar a identificar fatores de risco como a obesidade ou a desnutrição, tudo isso feito através de uma conta simples e rápida:

 

O resultado desta conta deve ser compreendido da seguinte forma, segundo dados da Organização Mundial de Saúde:Ou seja, para um adulto de 1,70 m e que pesa 45 kg, seu IMC seria calculado da seguinte forma: 45 kg/ 1,70 x 1,70 = 15,57, indicando magreza grave. Para uma pessoa de 1,75 m de altura e que pesa 120 kg, seu IMC seria calculado da seguinte forma: 120 kg/1,75 x 1,75 m = 39, 18 kg/m², indicando obesidade de grau II. Ambos os cenários são graves e devem procurar ajuda médica.

 

A obesidade

Hoje, no Brasil, o problema mais grave é o da obesidade. Neste caso, há indicação para a cirurgia se o IMC tem valor acima de 40 ou valor entre 35 e 40 quando o paciente tem as doenças associadas à obesidade, que chamamos de comorbidades. Exemplos de comorbidades podem ser diabetes tipo 2, apnéia do sono, hipertensão arterial, dislipidemia, doença coronariana e as osteo-artrites.

O Conselho Federal de Medicina, numa resolução em 2015, determinou a inclusão de outras doenças nesta lista: doenças cardiovasculares (infarto do miocárdio, angina, insuficiência cardíaca congestiva, acidente vascular cerebral, hipertensão e fibrilação atrial, cardiomiopatia dilatada, cor pulmonale e síndrome de hipoventilação), asma grave não controlada, osteoartroses, hérnias discais, refluxo gastroesofágico com indicação cirúrgica, colecistopatia calculosa, pancreatites agudas de repetição, esteatose hepática, incontinência urinária de esforço na mulher, infertilidade masculina e feminina, disfunção erétil, síndrome dos ovários policísticos, veias varicosas e doença hemorroidária, hipertensão intracraniana idiopática, estigmatização social e depressão.

 

Tratamento

Para cirurgia da obesidade é preciso ter idade entre 16 e 65 anos. Nos menores de 16 anos há apenas cirurgias em caráter experimental e nos pacientes acima de 65 anos precisa haver um consenso entre os médicos que acompanham o paciente como o endocrinologista, o cardiologista e o cirurgião do aparelho digestivo, mas são casos excepcionais.

As contra-indicações para a cirurgia são as causas endócrinas de obesidade tratáveis, dependência de álcool ou drogas ilícitas, as doenças psiquiátricas graves e sem controle, risco anestésico e cirúrgico muito altos e pacientes com dificuldade de compreender os riscos, os benefícios, os resultados esperados e as mudanças no estilo de vida requeridas com a cirurgia.

Mas, lembre-se, o mais importante é a conscientização do paciente de que a cirurgia é apenas uma parte do processo pelo qual ele vai passar para perder peso. É apenas o ponta-pé inicial de longa jornada que mudará a sua vida para sempre.

 

Calcule agora seu IMC

Já calculou seu IMC? No caso de dúvidas ou relatos de problemas com peso, procure um médico especialista que poderá te orientar da melhor forma. Para saber mais sobre a cirurgia da obesidade, clique aqui.