Será que existe algum sentido em ficar procurando alimentos que não contêm lactose ou glúten nas prateleiras dos supermercados, mesmo que você não seja intolerante a nenhuma dessas substâncias?

Porque tantas pessoas têm este hábito e evitam consumir estes produtos? Para perder peso? Por que supostamente faria bem? Por que alguém falou que isso emagrece?

Será que realmente existe algum sentido em evitar o consumo destes alimentos por pessoas que não têm hipersensibilidade ao glúten e à lactose?

 

A resposta é NÃO!

Acredite, não existe publicação científica que comprove seus benefícios ou que justifique estes tipos de dietas em pacientes saudáveis, apesar de elas estarem na moda e terem sido sugeridas por algumas celebridades. Veja o posicionamento da Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição sobre estas dietas em pacientes saudáveis:

Se quiser entender um pouquinho mais, deixo aqui mais informações para você:

 

Intolerância à Lactose

Esse é o nome da doença causada pela deficiência na produção de lactase, que é uma enzima que digere um açúcar que está presente no leite, a lactose. A falta ou a deficiência da lactase pode causar sintomas desagradáveis quando consumimos o leite e os seus derivados. Mais frequentemente podemos ter dor e estufamento abdominal, diarreia, constipação e até náuseas e vômitos. Mesmo para os pacientes que têm intolerância à lactose, o consumo de leite e derivados deve ser diminuído e não suspenso.

Acesse este link, para entender mais um pouco sobre este assunto.

 

Intolerância ao Glúten

Essa é uma condição menos frequente que a intolerância à lactose e que tem um componente genético importante. Trata-se de um processo inflamatório que acomete o intestino fino e é causado pelo contato com uma proteína que está presente no trigo, na cevada e no centeio. Isso pode provocar graus variados de dificuldade na absorção de nutrientes e sintomas desagradáveis como náuseas e vômitos, diarreia, constipação, distensão abdominal e flatulência e desnutrição.

Veja a publicação do nosso site sobre este tema neste link.

 

Lembre-se: sempre existirão sugestões milagrosas de dietas, de vitaminas, de medicamentos e suplementos que prometem a perda de peso rápida e o corpo perfeito, mas infelizmente isso não existe, não se iluda! Procure fazer dietas orientadas por um nutricionista ou um endocrinologista, faça exercícios físicos, adquira hábitos saudáveis e fuja das fórmulas mágicas, sempre!