O obeso sofre preconceito e discriminação o tempo todo! É lamentável que seja assim, mas é a mais pura verdade!

Pessoas obesas escutam comumente piadas a seu respeito, têm dificuldade de encontrar um assento adequado ao seu tamanho no avião, sofrem para passar por uma catraca no ônibus, percebem que algumas pessoas ficam incomodadas quando se sentam ao lado delas no transporte público ou numa sessão de cinema, por exemplo e ainda são discriminadas quando pleiteiam uma vaga de emprego.

É difícil falar à respeito, mas o obeso sofre discriminação, da mesmíssima forma como ainda acontece com os negros, os homossexuais, e com outros grupos que representam, de alguma forma, pessoas que não são consideradas comuns ou normais.

A criança obesa sofre muito na escola, sofre bullying, é segregada e pode desenvolver baixa autoestima, isolamento social, depressão e outros distúrbios psicológicos importantes.

A adolescência é uma fase da vida em que a personalidade ainda está sendo moldada e a obesidade nesse período pode provocar marcas difíceis de serem vencidas na vida adulta.

Não se trata de uma questão estética e nem muito menos de uma situação simples de ser resolvida, apenas fechando a boca, como muitos dizem por aí. Acredite, ninguém é obeso simplesmente porque é relaxado, preguiçoso, não faz exercícios ou porque come demais.

Você acha que beber álcool faz mal? Que fumar faz mal? Pois saiba que a obesidade já ultrapassou o tabagismo como a causa número um entre as doenças evitáveis que mais matam! Um em cada oito adultos no mundo é obeso segundo a OMS e no Brasil este número já é de um em cada cinco adultos!

A obesidade é coisa séria por tudo o que foi dito, mas também porque é uma doença crônica que traz uma enorme limitação à vida das pessoas, aumenta significativamente o risco de morte, de várias doenças e de vários tipos de câncer.

 

Prevenção

A prevenção da obesidade passa pela conscientização da importância da atividade física e da alimentação adequada e da necessidade da mudança de estilo de vida.

A Lei 11.721/2008 determina que o dia 11 de outubro é Dia Nacional de Prevenção da Obesidade. Esta data foi oficializada em 2008 para conscientizar os brasileiros da importância de se prevenir e combater a obesidade!

A prevenção é fundamental, mas o tratamento farmacológico deve estar à disposição dos médicos. Há pouquíssimos medicamentos para tratamento da obesidade liberados para prescrição médica no Brasil, mas há inúmeros medicamentos para tratamento do diabetes tipo II e para o tratamento da hipertensão arterial, que na maioria dos casos são consequências da obesidade.

Penso que precisamos melhorar isso!

 

Riscos sérios à sua saúde

  • O diabetes tipo II está em 80% dos casos associado à obesidade;
  • A dislipidemia pode estar fortemente associada à obesidade;
  • Até 70% dos paciente hipertensos são obesos;
  • Maior risco de doença coronariana e insuficiência cardíaca;
  • Risco de AVC (acidente vascular cerebral), popularmente conhecido como derrame;
  • Trombose venosa profunda e embolia pulmonar;
  • Apneia do sono e asma;
  • Osteoartrite e Gota;
  • Doença hepatobiliar (cálculos na vesícula e esteatose hepática);
  • Doença do refluxo gastroesofágico;
  • Doença renal crônica, pedras nos rins e incontinência urinária;
  • Efeitos reprodutivos (menstruação irregular e ciclos anovulatórios);
  • Distúrbios da excitação sexual e orgasmo na mulher e disfunção erétil no homem;
  • Infecções;
  • Alterações de pele (estrias, acantose nigricans e hirsutismo, que é o é um aumento da quantidade de pelos na mulher em locais comuns ao homem);
  • Depressão;
  • Demência;

 

Vários tipos de câncer têm relação com a obesidade

Acredita-se que 40% de todos os cânceres nos Estados Unidos estejam associados ao sobrepeso e à obesidade. Há fortes indícios de obesidade com os seguintes tipos de câncer:

  • Endometrial;
  • Rim;
  • Esôfago;
  • Cárdia (gástrico);
  • Cólon;
  • Reto;
  • Vias biliares;
  • Pâncreas;
  • Mama;
  • Ovário;
  • Mieloma múltiplo;
  • Carcinoma hepatocelular;
  • Meningioma;

 

Tratamento

A obesidade é uma doença multifatorial, envolvendo fatores genéticos, hormonais, metabólicos, culturais e comportamentais. O tratamento da obesidade é complexo, multidisciplinar, de longo prazo e cada paciente deve ser visto de forma individualizada e exclusiva.

O tratamento cirúrgico, à despeito de ser amplamente reconhecido como uma ferramenta bastante eficaz no controle da obesidade e das doenças associadas a ela, deve ser feito apenas depois de adequada orientação e apoio para mudança de hábitos de vida, realização de dieta adequada, atenção psicológica, prescrição de atividade física e, se necessário, o uso de medicamentos.

Concluindo, a obesidade é uma doença séria e você deve tratar este tema com muito respeito, pense nisso!

Se você quiser saber mais sobre o tratamento cirúrgico, clique aqui, aqui e aqui e visite sempre o nosso blog!