É muito comum que alguns pacientes procurarem o consultório de um gastroenterologista após perceberem sangue no vaso sanitário ou mesmo no papel higiênico após evacuar. E a pergunta é sempre a mesma: doutor, eu posso estar com um câncer?

Se esta é a razão que te trouxe até este post, fique tranquilo! O sangramento gastrointestinal pode ter sua origem em qualquer parte do trato digestivo e por diversas razões, que não só o câncer. O seu médico vai se basear na história clínica e no exame físico para entender o seu caso e descobrir através de exames qual a causa do sangramento.

É claro que todo sangramento deve ser investigado o mais rápido possível, afinal, podemos sim estar diante de uma doença grave como o câncer. Felizmente existem várias causas mais comuns, veja:

 

Hemorroidas

O tipo de sangramento mais comum é aquele em que o paciente percebe o sangue no vaso, após evacuar, mas de forma indolor. Este tipo de sangramento é típico de hemorroidas, uma doença de tratamento relativamente simples. O câncer do reto e do sigmóide também pode ter esta apresentação, mas ele normalmente vem acompanhado de sensação de que não se eliminou todo o conteúdo fecal – o paciente fica retornando ao vaso sanitário com a sensação de evacuação incompleta.

 

Fissura anal

Quando o sangramento ocorre de forma dolorosa após a evacuação e o paciente sente algumas fisgadas no ânus, temos um quadro muito sugestivo de fissura anal. Mas, atenção! O câncer do ânus também pode se apresentar desta forma! Fissuras anais que não cicatrizam falam a favor de que algo está errado e pode ser necessário a realização de uma biópsia para afastar esta possibilidade.

 

Doença diverticular

O sangramento pela doença diverticular geralmente é indolor e em geral o paciente percebe sangue bem vermelho no vaso, em quantidades que podem variar bastante. Os outros sintomas que acompanham o caso dependem da intensidade do sangramento. As angiodisplasias são muito comuns e a característica do sangramento é muito semelhante ao da doença diverticular.

 

Outras causas

Além destas principais razões, existem também outras doenças que podem provocar o sangramento gastrointestinal. São elas: Úlceras do esôfago, estômago e duodeno; Varizes de esôfago (dilatação das veias no final do esôfago em pacientes com cirrose); Síndrome de Mallory-Weiss (lesão da mucosa do esôfago causada pelos vômitos); Esofagites, gastrites e duodenites (inflamação da mucosa do esôfago, estômago e duodeno); Malformações vasculares; Câncer do esôfago, estômago e do duodeno; Doença diverticular dos cólons; Angiodisplasias (malformações vasculares); Pólipos do intestino grosso; Câncer do intestino delgado (muito raro), câncer do intestino grosso e do reto (colorretal); Hemorroidas; Fissura anal; Doença Inflamatória Intestinal (colites, retocolite ulcerativa e doença de Crohn) e Diarréias infecciosas. Viu só quantas possibilidades?

Medicamentos como os anti-inflamatórios, corticóides, anticoagulantes e anti-agregantes plaquetários são comumente relacionados à causas de sangramento gastrointestinal. Por isso, cuidado!

O tratamento para o sangramento intestinal pode variar muito porque as causas também são muito diversas, conforme foi demonstrado. Somente um médico especialista poderá indicar o melhor tratamento para o seu caso.

 

Atenção: 

1) Se o paciente perdeu bastante sangue e de forma rápida, ele pode apresentar sintomas como palidez cutâneo-mucosa, taquicardia, extremidades frias e eventualmente confusão mental e até síncope (desmaio). Esta é uma situação de emergência e o paciente deve ser levado para atendimento em uma unidade de pronto socorro imediatamente.

2) Todos os casos de sangramento anal e de anemia sem causa evidente devem ser investigados por um médico. Procure um especialista o mais rápido possível.

Para saber mais sobre sangramento gastrointestinal, clique aqui.