Será que a perda de peso após uma cirurgia bariátrica pode afetar o relacionamento conjugal? Pelo menos é isso o que sugere uma pesquisa sueca que foi divulgada na semana passada pela agência Reuters. Pesquisadores da Universidade de Gothenburg concluíram através de dois grande estudos que os indivíduos que foram submetidos à gastroplastia se tornaram mais suscetíveis a mudanças no relacionamento a dois, quando comparados com quem não foi operado. Os que eram casados demonstraram maior chance de se divorciarem após a perda de peso e os solteiros passaram a ter mais chances de entrar em um novo relacionamento.

 

A mudança de vida

O primeiro estudo comparava um grupo de quase 2000 pacientes que se submeteram a cirurgia da obesidade em comparação a outro grupo, também de quase 2000 pacientes, que optaram por não realizar a cirurgia. Deste grupo, 999 participantes eram solteiros no começo do estudo.

Quatro anos depois veio a primeira surpresa: aproximadamente 21% daqueles pacientes que se submeteram a bariátrica como forma de tratamento, se casaram ou começaram um relacionamento. Em comparação, apenas 11% daqueles que não fizeram a cirurgia encontraram um novo par no mesmo período.

Dez anos depois, as taxas de casamentos e novos relacionamentos foram ainda mais discrepantes: 35% dos pacientes, que se submeteram à cirurgia bariátrica e eram solteiros, declararam estar em um novo relacionamento. Ao mesmo tempo, apenas 19% dos que não fizeram o procedimento tiveram a mesma sorte. Aproximadamente 75% eram mulheres e todas as pessoas analisadas eram suecas.

 

Bariátrica e o divórcio

Entre o grupo de pacientes que já eram casados quando realizaram a cirurgia, a taxa de divórcio e separação passou a ser de 9% em comparação a apenas 6% do outro grupo. Depois de dez anos o salto foi ainda maior: 17% do primeiro grupo se divorciou, contra apenas 12% do grupo que não se submeteu a cirurgia bariátrica.

“Os efeitos da cirurgia para perda de peso se estendem além da mudança estética”, comenta o co-autor da pesquisa Per-Arne Svensson, da Universidade de Gothenburg.

 

Dados relevantes

Para validar a tese, um segundo estudo comparou um grupo ainda maior de pacientes – aproximadamente 60 mil pessoas. Da mesma forma, havia um grupo de aproximadamente 30 mil pacientes obesos que foram operados e outro de quase 30 mil pacientes que não realizaram a cirurgia.

Do grupo de solteiros que foram operados, 35% se abriram a novos relacionamentos. Já os pacientes que eram casados, 41% disseram ter se separado, em comparação com o grupo de pacientes que não realizou a cirurgia bariátrica. Segundo os autores as mudanças eram ainda mais rápidas e intensas naqueles que perderam mais peso.

 

A cirurgia do amor-próprio

Segundo os autores da pesquisa, as cirurgias de perda de peso resultam “em uma reavaliação dos relacionamentos, com os pacientes percebendo que são capazes de sair de relacionamentos infelizes ou então iniciar novos relacionamentos saudáveis”, disse o Dr. Samer Mattar, Presidente da Sociedade Americana de Cirurgia Bariátrica e Metabólica.

A pesquisa não pode e nem busca provar que a cirurgia para perda de peso faz com que as relações mudem. As mudanças após a cirurgia bariátrica podem estar relacionadas também ao aumento da tensão em relacionamentos já vulneráveis ​​ou a melhorias que fortalecem os pacientes a deixarem os relacionamentos nos quais não são mais felizes, sugerem os autores do estudo.

“A cirurgia bariátrica amplia e deixa claro os prós e os contras dos relacionamentos”, disse Mattar. Ainda segundo o autor, os pacientes devem estar cientes que a cirurgia melhorará sua saúde e qualidade de vida, incluindo sua capacidade de tomar decisões pessoais de forma confiante e independente.

Fonte:  JAMA Surgery, 28 de março de 2018. |Reuters, 3 de abril de 2018.

 

Para saber mais sobre a cirurgia da obesidade, clique aqui.